sábado, 25 de março de 2017

Lula diz que lutará "até o fim" e pede que Lava Jato não destrua o país


"Eles não estão julgando uma pessoa, estão julgando um jeito de governar", diz Lula. Foto: Ricardo Stuckert

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que lutará "até o fim" contra as acusações de que é alvo na Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção na Petrobras, e pediu que a operação não destrua o Brasil.
Lula, apontado como provável candidato do PT à Presidência no ano que vem, afirmou em seminário do PT sobre a operação que o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da operação, não são mais honestos que ele e defendeu a aprovação de uma lei sobre abuso de autoridade.
"Eu vou nessa briga até o fim. Eu não tenho negociata. Eles vão ter que provar", disse o ex-presidente no encerramento do seminário "O que a Lava Jato fez pelo Brasil" organizado pelo PT em São Paulo nesta sexta.
"Pode ter certeza que eu vou brigar até as últimas consequências", acrescentou. "Se eles querem pegar o Lula, arrumem motivos ou provas, mas não destruam o Brasil."
Lula é réu em três ações da Lava Jato, duas delas sob responsabilidade de Moro, a quem a defesa do ex-presidente acusa de parcialidade e de ser suspeito para julgar o petista. (...)
"Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem nenhum deles, tem a honestidade e a lisura que eu tenho nos meus 70 anos de vida", disse Lula em seu discurso.
"A Lava Jato pode agir como quer, pode vazar para quem quiser. Nem no regime militar eu vi isso", disse. "A gente não pode deixar de aprovar a lei de abuso de autoridade porque ninguém está acima da lei." (...)
(Por Eduardo Simões, da Reuters Brasil)
-Clique Aqui para ler mais. -Foto: site lula.com.br

Sindicalistas realizam Ciclo de Debates sobre a Previdência em Santiago/RS



Da Redação

Na noite de ontem, com o plenário da Câmara de Vereadores de Santiago completamente lotado (fotos), sindicalistas locais, da Região e do Estado realizaram importante debate que teve como tema "A Previdência em Foco! Reformas! E agora?" 

A iniciativa da atividade foi do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santiago, do 29º Núcleo do CPERS/Sindicato e da Federação dos Sindicatos dos Servidores Municipais do RS-FESISMERS. A preocupação central dos trabalhadores - manifestada na ocasião - é a tentativa do governo golpista liderado pelo usurpador Temer (e seus aliados) de retirar históricos direitos conquistados pelos trabalhadores brasileiros em décadas de luta, em especial em relação à Previdência Social. Dentre os debatedores se fizeram presentes vários representantes dessas categorias, bem como uma qualificada equipe de técnicos e advogados que também responderam questionamentos sobre dúvidas em relação ao tema.




Na próxima quinta-feira, 30/03, às 18 horas, também no plenário da Câmara de Vereadores, ocorrerá Audiência Pública sobre o mesmo tema. Os organizadores reiteram convite para os sindicalistas, trabalhadores(as) e demais pessoas interessadas. 

*Fotos via face Cpers/Santiago

sexta-feira, 24 de março de 2017

Vaza Jato - Fachin retarda fim do sigilo. Só “pode” vazamento do Marcelo “mendigo”



O ministro Luiz Edson Fachin disse hoje, no Rio, ao participar de uma banca para escolha de professores titulares do departamento de Direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, que “não tem previsão” para decidir sobre o levantamento do sigilo dos pedidos de inquérito derivados das delações premiadas dos executivos da Odebrecht.
Com todo o respeito, a fala do ministro chega a ser ridícula, no momento em que vaza tudo para os jornais e vazará mais ainda para as revistas de final de semana. E, claro, vaza o que se quer que vaze não o que pode causar “danos colaterais” aos promotores da “vazação” e a seus prediletos.
Enquanto isso, vamos nos divertindo com a mistura de empáfia e surrealismo dos trechos divulgados do senhor Marcelo Odebrecht.
No Estadão:
“A campanha presidencial [de Dilma] de 2014, ela foi inventada primeiro por mim, tá?”, disse Marcelo ao ser questionado sobre sua relação com a reeleição de Dilma. “Os valores (de doações) foram definidos por mim”, afirmou o empresário, preso em Curitiba desde junho de 2015, em razão de investigações da Operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção na Petrobrás.
Quer dizer, não lhe foi pedido dinheiro, ele resolveu dar? Se resolveu dar, então não lhe foi proposto algo em troca?
Ele diz que, do total, R$ 50 milhões referiam-se, porém, a uma contrapartida pela aprovação de uma medida provisória em 2009. Logo depois houve uma campanha eleitoral, não seria este o momento, então, de “pagar” o favor? Você consegue imaginar uma “propina” sendo paga 5 anos depois?
Francamente, difícil acreditar nessa “caderneta de roubança”. R$ 50 milhões assim, no fio do bigode, parados cinco anos numa promessa, sem juros nem correção monetária? Corrigido pelos juros da Selic, de junho de 2009 a junho de 2014, daria R$ 28,7 milhões de rendimento…
Aí, na Folha, diz que era “mendigo”, que “não era o dono do governo”, mas o “bobo da corte do governo”, quase ao ponto de nos comover a juntar umas moedinhas para ele tomar uma média com pão e manteiga…
Pera lá, a Odebrecht é uma empresa de benemerência. Se  “empepinou” -palavras dele -, se endividou, deu garantias, gastou do seu e tinha de “mendigar” e aí resolver dar milhões de reais pelo caixa dois aos seus algozes, sem condicionar isso ao recebimento do que lhe deviam?
Eu deveria ter conhecido este senhor, para ver se meus problemas financeiros terminavam, assim, com tanta generosidade. Não dou nada, ele se endivida por mim e depois ainda me presenteia?
É óbvio  que houve, “por dentro e por fora” dinheiro da Odebrecht na eleição. Dela e de outras empreiteiras . Para o PT e para todos – ou quase todos – os outros partidos. Mas a história que Marcelo Odebrecht arranjou para dar fim a ameaça de “prisão perpétua” que Curitiba lhe punha à frente está cheia de situações, no mínimo, com pouca verosimilhança – como a de conversou com Michel Temer “sem valores” – o que seu braço direito desmente – e que um auxiliar e Eliseu Padilha combinaram na varanda do Palácio do Jaburu…
Mas com Dilma, mesmo não tendo nenhuma conversa além de “doação quem trata é fulano”, sem ter tratado de valores,  afirma que ela sabia. Para ela saber, alguém ter de ter contado, e ele não diz que  contou nem quanto nem como estava doando.
Os outros delatores da Odebrecht tem sido muito mais específicos que Marcelo, embora aquilo que disseram tenha sido empresarialmente organizado, com uma legião de advogados a combinar e acertar versões.
Foi, claro, um negócio, onde Marcelo, a jóia da coroa,  tinha de entregar o que queriam.
Mas precisa embrulhar melhor o presente…
(Por Fernando Brito in Tijolaço)

TSE vai apurar vazamento ao ‘Antagonista’ - Dilma vai pra cima!​

Mainardi.jpg
Os antagonistas são jornalistas, Dr. Moro?
Do portal Dilma.com.br:

Advogados de Dilma conseguem abrir na Justiça Eleitoral uma investigação interna sobre a responsabilidade pela divulgação de trechos da delação do empresário Marcelo Odebrecht


A defesa da presidenta Dilma Rousseff conseguiu a abertura de investigação pelo Tribunal Superior Eleitoral sobre a responsabilidade pelo vazamento de trechos da delação do empresário Marcelo Odebrecht para o site “O Antagonista”. Os advogados pediram na noite de quinta-feira ao TSE que adote as medidas cabíveis, inclusive junto à Procuradoria Geral da República, para a abertura de procedimento investigatório.

O procurador-geral Rodrigo Janot é quem terá de decidir pela abertura de inquérito. No despacho, o juiz auxiliar da Corregedoria Eleitoral, juiz Bruno César Lourencini, abriu apenas procedimento interno no âmbito do TSE.

Os advogados argumentaram que é grave o vazamento de processo que corre sob segredo de Justiça, numa violação à decisão tomada pelo relator do caso no TSE, ministro Herman Benjamin. No Supremo Tribunal Federal, o relator da Operação Lava Jato, ministro Edson Facchin, também não levantou o sigilo do processo. A defesa quer que seja respeitado o princípio de inviolabilidade do sigilo imposto pode decisão de autoridade competente ao processo judicial.

Em nenhum momento, os advogados pediram que seja investigada a responsabilidade do site “O Antagonista” pela violação do sigilo. Até porque seria uma afronta ao direito de preservação de fontes de material jornalístico, com risco de quebra da garantia de liberdade de imprensa e de expressão. A presidenta eleita Dilma Rousseff sempre defendeu, como é público e notório, as liberdades de opinião e de imprensa, expressas na Constituição de 1988.

A publicidade de trechos de um processo sigiloso na Justiça ocorre em momento oportuno. Esta semana, autoridades do Judiciário, como o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Gilmar Mendes; e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; condenaram publicamente os constantes e suspeitos vazamentos seletivos a setores da imprensa de documentos que estão sob a guarda de autoridades, no âmbito da Operação Lava Jato.

No ano passado, a quebra do sigilo de conversas telefônicas travadas por Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, por determinação indevida da Justiça Federal, foi condenado pelo então relator da Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki. As conversas foram divulgadas ilegalmente à TV Globo, mas não se investigou a responsabilidade pela violação do sigilo da autoridade competente.

No início da semana, a condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães à sede da Polícia Federal – para que esclarecesse a eventual suspeita de participação da violação de informações da Lava Jato – foi amplamente condenada por instituições como a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a ONG Repórteres Sem Fronteiras.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
​DILMA ROUSSEFF
Em tempo: o Antagonista é do sucessor do Paulo Francis no "Manhattan Connection", da GloboNews, o notório Diego Mainardi.

Em tempo2por que o Conversa Afiada jamais mereceu um vazamento, amigo navegante? - PHA​

*Via https://www.conversaafiada.com.br

"RECADO AO DEPUTADO FEDERAL LUIZ CARLOS HEINZE!"



Do Blog do Deputado Estadual Miguel 'Bombeiro' Bianchini (PPL/RS)

MAR
24

Escrevi este texto há 3 anos atrás, quando o Brasil ainda não conhecia o sistema de corrupção e a roubalheira criminosa e desenfreada da nossa política, hoje estamos estarrecidos e os "anjinhos" continuam dando as cartas e criando seus "filhotinhos". 

RECADO AO DEPUTADO FEDERAL LUIZ CARLOS HEINZE!

Caro deputado, você não me representa e nunca mais me representará, embora tenha defendido sua candidatura em outras eleições. Enganei-me, reconheço.

Tudo o que não presta neste país não são os índios, os negros, os gays e as lésbicas, são seres humanos como nós e merecem ser respeitados, entre eles, muitos marginalizados pela segregação racial, pelo preconceito e pela discriminação imperante no nosso Brasil.

*Via http://miguelbianchini.blogspot.com.br/
...

**Nota do Blog 'O Boqueirão Online': Sobre as raivosas, preconceituosas e homofóbicas declarações dos deputados Luiz Carlos Heinze (PP) e Alceu Moreira (PMDB), leia postagem realizada neste Blog em 18/02/2014 intitulada "Deputados Heinze e Moreira denunciados por racismo, homofobia e incitação à violência" clicando AQUI.

E.T.: Não por acaso, na fatídica noite da última quarta-feira, esses deputados acima citados, sob as ordens do golpista Temer e dos patrões da FIESP,  votaram a favor da terceirização, contribuindo para rasgar a CLT e, mais uma vez,  se posicionando claramente contra os trabalhadores(as). Vide postagem abaixo. (Da Redação) 


***Charge do Latuff 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Deputados extinguem a CLT; veja quem são os 231 traidores dos trabalhadores brasileiros



Deputados aprovam terceirização irrestrita da mão-de-obra
Base governista resgatou um antigo projeto do governo FHC, com ainda menos salvaguardas ao trabalhador que a proposta de Cunha de 2015
por Renan Truffi e Rodrigo Martins, em CartaCapital* 
 A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira 22 um projeto que libera a terceirização do trabalho apresentado há 19 anos pelo governo Fernando Henrique Cardoso. A proposta de 1998 também anistia multas impostas a empresas e, agora, depende apenas de sanção de Michel Temer.
O PL 4302, de 1998, foi aprovado com 231 votos favoráveis, 188 contrários e oito abstenções. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é o principal responsável pela celeridade na aprovação da matéria, vendida como uma alternativa para reativar o mercado de trabalho.
“Temos que parar com o mito de que regulação gera emprego. O excesso de leis no Brasil tem gerado desempregados”, afirmou na segunda 20, durante evento da Câmara Americana de Comércio em São Paulo.
Em linhas gerais, o texto permite a terceirização em todas as atividades de uma empresa, tanto no setor privado quanto no serviço público. (...)
CLIQUE AQUI para ler a íntegra da postagem (via Viomundo*)
-Veja abaixo como votaram os Deputados Federais gaúchos - em negrito os que votaram contra os (as)  trabalhadores(as):

Afonso HammPPPpPtnPhs…Não
Afonso MottaPDTNão
Alceu MoreiraPMDBSim
Assis MeloPCdoBNão
Bohn GassPTNão
Cajar NardesPRSim
Carlos GomesPRBSim
Danrlei de Deus HinterholzPSDSim
Darcísio PerondiPMDBSim
Henrique FontanaPTNão
Jerônimo GoergenPPPpPtnPhs…Sim
João DerlyREDENão
Jones MartinsPMDBSim
José FogaçaPMDBNão
Jose StédilePSBNão
Luis Carlos HeinzePPPpPtnPhs…Sim
Marco MaiaPTNão
MarconPTNão
Maria do RosárioPTNão
Mauro PereiraPMDBSim
Paulo PimentaPTNão
Pepe VargasPTNão
Pompeo de MattosPDTNão
Renato MollingPPPpPtnPhs…Sim
Sérgio MoraesPTBPtbProsPslNão
Yeda CrusiusPSDBSim