sábado, 21 de janeiro de 2017

Jornalista que convidou Lula para sua formatura trabalha em sindicato filiado à CUT - Rita Garrido ganhou fama nas redes sociais após convidar Lula para sua festa de formatura


SelfieRita, durante cobertura de mobilização em Porto Alegre, com amigos.
Rita Garrido ganhou destaque no noticiário por ter convidado Lula para sua festa de formatura, que aconteceu na última sexta, dia 20, em Porto Alegre.
A alegria que ela sente, enquanto fala conosco ao telefone ao mesmo tempo em que prepara figurino e maquiagem para a cerimônia, já lhe dá convicção quanto ao futuro: “Eu me imagino fazendo comunicação popular. Não sei se no movimento sindical ou de outra forma, mas quero um trabalho voltado para o povo, que leve uma mensagem diferente da mensagem hegemônica”, prevê Rita. “Sou jornalista pé no barro”, diz.
Formada com o apoio do ProUni e do FIES, linhas de financiamento criadas durante os governos de Lula, Rita, 26 anos, quis prestar uma homenagem ao ex-presidente quando enviou-lhe a carta que dias depois ganharia fama nas redes sociais.
Na verdade, a homenagem já havia sido feita, ainda que não diretamente, quando Rita escolheu o tema para sua pesquisa de conclusão de curso na Universidade Vale dos Sinos: A Construção de Sentidos Sobre a Condução Coercitiva do Ex-Presidente Lula: análise das notícias em CUT-RS e Zero Hora.Rita em ação no Sindicato. Foto: arquivoRita em ação no Sindicato. Foto: arquivo
O despertar para essa linha de pesquisa deve muito ao fato de Rita trabalhar como assessora de comunicação no Sindicato dos Metalúrgicos de Canoas e Nova Santa Rita, filiado à CUT, desde 2014. O mesmo sindicato que já teve entre seus dirigentes Marco Maia, hoje deputado federal, e Paulo Paim, senador.
“Espero poder retribuir toda a ajuda que o sindicato me deu durante esse tempo todo. Tudo que aprendi de comunicação, o pouco que sei, foram eles que me ensinaram”, diz.
Em tempo: Lula não esteve presente à formatura de Rita nesta noite, mas telefonou para agradecer o convite e parabenizar a jornalista (leia mais aqui).
*Via http://cut.org.br/

Braço-direito de Temer vê lado bom na morte de Zavascki: 'Vamos ter mais tempo'


A família sofre e chora. O povo brasileiro assiste estarrecido à sequência de horrores que parece acometer o Brasil. 

Mas tem gente que vê um lado bom na morte do ministro do STF Teori Zavascki num acidente de avião nas proximidades de Paraty na quinta-feira, dia 19.

O braço direito do golpista Temer, ministro Eliseu Padilha (63 citações na delação da Odebrecht) é um desses.
"A morte, por certo, vai fazer com que a gente tenha, em relação à Lava Jato, um pouco mais de tempo agora para que as chamadas delações sejam homologadas ou não", disse Padilha, após se reunir com o governador José Ivo Sartori no Palácio Piratini, sede do governo gaúcho. [Fonte: Folha]
O que esperar de um governo de abutres, que chegou ao poder tramando uma traição a uma presidenta eleita com 54,5 milhões de votos dos brasileiros? A morte é sempre motivo de júbilo para eles. 

*Por ANTONIO MELLO  in Blog do Mello

Coluna C&A

Deputados Marco Maia e Valdeci Oliveira (PT/RS) intensificam agendas e colaboram na discussão sobre os rumos do Partido dos Trabalhadores




Crítica & Autocrítica - nº 115

*Conversei hoje longamente com o companheiro e amigo Deputado Federal Marco Maia, do PT/RS (canoense, metalúrgico, cutista, também ex-presidente da Câmara dos Deputados). Dentre os assuntos, o agravamento da situação conjuntural vivenciada pelo país através das ações (ou falta delas) adotadas pelo impostor/golpista Michel Temer e sua troupe, especialmente no que tange aos ataques aos direitos dos trabalhadores, a questão da Previdência Social, desemprego crescente, recessão etc. 

*Marco Maia (foto) informou-me também que está viajando hoje para Brasília/DF. Na quarta-feira o deputado irá a São Paulo para participar da reunião do Diretório Nacional do PT, devendo permanecer na capital paulista até o dia 20 (sexta), participando ainda de uma série de reuniões e debates (do Movimento Muda PT e Mensagem ao Partido) relacionados ao 6º Congresso. Em breve também será divulgada a data da agenda que o destacado parlamentar petista estará realizando em Santiago.

*O ano de 2016 não vai deixar saudades, mas o de 2017, segundo avaliamos, poderá ser diferente, desde que ocorra efetivamente uma reação forte da sociedade - especialmente dos trabalhadores e da juventude - que propicie um recuou e mesmo a derrota da política de lesa pátria e de ataques ao povo trabalhador protagonizadas pelo (des)governo capitaneado pelo traíra Temer e seus aliados de direita. (A propósito desse tema, assim como em relação ao 6º Congresso do Partido dos Trabalhadores,  desafios e perspectivas, que está iniciando sua fase municipal,  o deputado petista estará concedendo entrevista exclusiva a este blogueiro nos próximos dias). 

*O Deputado Marco Maia reafirmou-me também o interesse em retomar um forte trabalho político em nossa Região, especialmente no município de Santiago (cidade-polo Regional). A propósito disso, fruto de uma rica discussão política que iniciamos ainda no final do ano passado, em Canoas, uma parceria política entre o seu Gabinete e este Editor começou a ser gestada.

***
*Também para discutir os rumos do PT, recebi hoje este Convite do vice-presidente do PT santiaguense, companheiro Rômulo Vargas (também assessor do deputado estadual Valdeci Oliveira, do PT/RS): "Boa tarde companheir@s!!!  Neste domingo dia 22, às 12 h e 30min, o deputado Estadual Valdeci Oliveira estará em Santiago. Promoveremos um almoço seguido de Assembléia Pública na qual discutiremos os rumos que o Partido dos Trabalhadores  precisa tomar. A assembléia  como o nome já diz, é aberta a todos @s filiad@s e também aos simpatizantes e militantes não filiados, um vez que são de fundamental importância, entendemos que estes também devem estar junto e ajudar a reorganizar o partido em todas as suas instâncias. O Almoço será por adesão, no valor de R$10,00, com cardápio de galeto, arroz e saladas. -Local: Salão do Kinha. Rua Jerônimo Oliveira 1448, Vila Nova. Reservas até sexta para melhor organização." 

*Agradeço o gentil Convite e confirmo que lá estarei, com muito gosto! A luta segue. (Por Júlio Garcia, especial para o Blog "O Boqueirão Online") 
** Postado originalmente em 16/02/2017.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Acidente com ministro Teori Zavascki mostra como mídia manipula as notícias




Neste momento, tarde de sexta-feira, todos já sabemos que no acidente em que morreu o ministro do STF Teori Zavascki, ontem à tarde, em Paraty, RJ, morreram outras quatro pessoas. Sabemos também o nome e o sexo delas.

Mas, quem eram as duas mulheres que estavam no avião só foi revelado no início da madrugada. E até o momento a mídia corporativa se refere à mais jovem delas (filha da outra) como massoterapeuta, uma informação que retiraram de uma nota do hotel, que pertence ao empresário dono do avião e que também morreu no acidente. Na página do Facebook da jovem ela não se identifica como tal.

Mas se é massoterapeuta ou não, não é tão importante. O que interessa é o extremo cuidado com que a mídia trata o assunto, certamente para preservar a imagem do ministro. (Faria o mesmo, caso, em vez do ministro, fosse, por exemplo, Lula o passageiro envolvido no acidente?)

Assim como trata como coisa trivial o ministro interromper suas férias na quarta, voltar a Brasília para tocar os 77 processos de delação e logo no dia seguinte, ontem, quinta, desistir de tudo, pegar o avião para São Paulo e de lá outro para ir passar o final de semana no hotel de luxo do amigo (com pendências no Supremo) em Paraty. Ninguém acha estranho?

Mais: Alguém investigou quem mais está ou estaria hospedado no tal hotel, que deve ser exclusivíssimo? Algum político? Alguém da Odebrecht? Advogado famoso?

Como disse uma vez Roberto Marinho, às vezes é mais importante aquilo que a Globo não dá, a notícia que ela acoberta ou desfigura do que aquilo que ele informa.

Ou seja, manipula. 

*Por Antônio Mello  - in Blog do Mello

Livro aborda as escolhas do governo Tarso diante da crise do Estado

Ao lado do ex-governador Tarso Genro, o jornalista Marco Weissheimer lançou,
quinta-feira, o livro “Governar na Crise.” |Foto: Marco Nedeff

Da Redação do Sul21*
“Ele pretende ser um livro de combate nesses tempos”. Foi assim que o jornalista Marco Weissheimer definiu o propósito do livro Governar na Crise. Um olhar sobre o governo Tarso Genro – 2011/2014”, escrito por ele e lançado no final da tarde de quinta-feira (19), diante de um auditório lotado no Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e com a presença de muitos ex-secretários da gestão Tarso e petistas históricos. A atividade faz parte da programação do Fórum Social das Resistências.
O livro questiona, entre outros aspectos, se o ato de governar pode ser resumido a uma dimensão meramente contábil, que coloca a busca do déficit zero como objetivo principal, ou se essa escolha é contraditória com o próprio conceito de governar. Um governo pode, sob o pretexto de enfrentar a crise financeira do Estado, destruir um dos pilares que define a própria função do Estado, a saber, a prestação de serviços públicos de qualidade à população?
No início da apresentação, o ex-governador Tarso (PT) ressaltou que a ideia de fazer o livro vinha “sendo germinada há algum tempo.” Depois de muito debate, contou ele, foi definido fazer “um livro político” que contemplasse diretrizes gerais do governo e também agregasse “algumas atividades” realizadas na sua gestão que “eram novidades.” “É um trabalho responsável, sério”, elogiou Tarso, sobre a obra de Weissheimer.
Hoje, segundo o ex-governador, o que acontece no Rio Grande do Sul é o oposto “do que fizemos”, sem se referir explicitamente sobre a política adotada pelo governador José Ivo Sartori (PMDB). Entre os exemplos citados por ele e que foram revogados pela gestão peemedebista estão o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, e o Programa de Agricultura Camponesa, construído juntos com os movimentos sociais ligados ao campo. O Conselhão, conforme Tarso, oportunizou aos diferentes segmentos da sociedade exporem suas demandas, e o programa de agricultura beneficiou famílias pobres que não tinham acesso nem ao Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).
“Esse será um trabalho que vai se comunicar com outras experiências feitas no país”, enfatizou o ex-governador. Ainda referente às ações do seu governo e que não receberam a devida atenção da gestão Sartori, Tarso citou o programa RS Mais Igual,  voltado para a complementação e geração de renda e que beneficiou 70 mil famílias pobres do Estado. Hoje, informou ele, entre mil e duas mil famílias são contempladas pelo programa. “É um exemplo desse contraste que o livro vai apresentar”, completou o ex-governador, sobre as ações de sua gestão comparadas as do peemedebista. Na opinião dele, Sartori, apesar de não apresentar propostas para governar o Estado, já havia definido fazer o “ajuste fiscal” atendendo aos “setores mais conservadores da sociedade”, além de repassar serviços públicos à iniciativa privada.(...)
*CLIQUE AQUI para continuar lendo.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

A morte de Teori Zavaski



(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
Abaixo, a notícia publicada na Agência Brasil, com os fatos. Vamos esperar assentar um pouco os boatos que se espalham por toda a parte.
Um deles, já anunciado pelos canais oficiais do golpe, é de que Temer indicará imediatamente um novo ministro, e que este novo ministro será o responsável pela Lava Jato.
Teori, apesar de obedecer, no geral, ao comando do golpe, era um juiz durão, que já criticou duramente Sergio Moro, falando em prisões mediavalescas.
A esta altura, era o melhor juiz do STF. O único que não se deixava embriagar pelos holofotes, embora também não tenha tido coragem de romper com as linhas mestras do golpe.
Uma pena que tenha morrido. O STF fica menor.
O próximo indicado por Temer agora pode ser um vampiro do PMDB ou um vampiro da Globo. Haverá uma disputa sangrenta de poder por esta vaga.
Ou seja, mais instabilidade, mais violência.
Que Deus nos proteja. (...)
CLIQUE AQUI para continuar lendo (via O Cafezinho)

Bolsista do ProUni faz TCC sobre condução coercitiva e convida Lula para festa de formatura - Estudante analisou a condução coercitiva do ex-presidente para mostrar a importância do contraponto no jornalismo


Da esquerda para a direita: Rafaela Amaral, Matheus Alves, Rita Garrido e Émerson da Costa.
 Todos são bolsistas do ProUni

Até poucos anos atrás, a universitária de jornalismo Rita Correa Garrido, de 26 anos, sequer pensava em cursar o ensino superior, assim como milhões de brasileiros e brasileiras.

Filha de comerciantes, estudante de escolas públicas durante todo o ensino fundamental e médio, Rita resolveu apostar no ProUni, que lhe propiciou uma bolsa de 50% no curso de Jornalismo, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo (RS). Para garantir o restante da graduação, Rita teve auxílio do FIES e pode financiar os outros 50% do curso.

Após enfrentar jornadas exaustivas de trabalho, estudo, preconceito e até exclusão dos colegas, que faziam piadas de sua condição de bolsista, Rita está a poucos dias de sua maior conquista: a formatura, no próximo dia 20.

Pensando na caçada judicial e midiática contra Lula, principalmente sobre a condução coercitiva sofrida pelo ex-presidente em março do ano passado, Rita resolveu abordar o acontecimento em sua pesquisa de conclusão de curso. Com o tema "A Construção de Sentidos Sobre a Condução Coercitiva do Ex-Presidente Lula: análise das notícias em CUT-RS e Zero Hora", a pesquisa busca reforçar a importância do contraponto dos demais meios jornalísticos (sindical, independente e alternativo).

"A condução coercitiva do ex-presidente Lula ocorreu em meio à pesquisa, no momento em que eu ainda estava procurando um acontecimento que demonstrasse a importância do contraponto no jornalismo. Acredito que o jornalismo sindical tem esse potencial, justamente por se dirigir diretamente à classe trabalhadora como um instrumento de conscientização e formação de senso crítico", afirmou.

Na pesquisa, Rita analisou os sentidos que se construíram nas publicações de Zero Hora e da CUT-RS. "O contraponto apareceu, pois o mesmo acontecimento foi noticiado de maneira distinta pelos dois veículos, a partir das fontes escolhidas, dos trechos de falas selecionados, das informações contextualizadas", explica.

Para comemorar a formatura, Rita enviou uma carta ao ex-presidente Lula e fez o convite para ele participar de sua festa. Como não poderá estar presente, Lula fez questão de ligar para a universitária para agradecer a carta e o convite. Durante a conversa, o ex-presidente falou sobre a importância de programas como ProUni e Fies para garantir o acesso democrático ao ensino superior.

"Eu tenho consciência do significado do ProUni na vida das pessoas. Mas, lamentavelmente, no Brasil ainda tem gente que não quer compreender e não quer que os mais humildes sejam iguais a ele. Esse é o grande problema. As pessoas não estão preocupadas se você está tirando delas, as pessoas não querem que você seja igual a elas. Querem que você esteja no degrau debaixo", disse Lula.

O ex-presidente afirmou que ficou muito emocionado com a carta e com a garra da estudante. "Estou te ligando para te dar os parabéns. Quando for ao Sul, vou te ligar. Teria um imenso prazer de te dar um abraço e um beijo". Para Rita, a conversa teve um significado especial. "Senti a necessidade de agradecer a oportunidade que tive em cursar o ensino superior. Fiz isso por meio de uma carta e um convite para a formatura. Receber este retorno foi gratificante e me certificou ainda mais sobre quem está comprometido com questões de inclusão social e igualdade". (...)


CLIQUE AQUI para ler na íntegra -via http://www.lula.com.br/